Qual peeling químico é indicado para você?

Ao decidir procurar um tratamento estético para melhorar o aspecto da pele, as pessoas se deparam com uma infinidade de peelings. E aí surge uma dúvida muito comum: “Qual é o melhor tipo de peeling químico indicado para mim?”. A resposta é simples, isso depende de vários fatores, como tipo de pele e histórico médico, junto com a área ou problema que você deseja tratamento. Por exemplo, pacientes asiáticos e de pele mais escura só podem ser tratados com lasers especiais e peelings químicos mais leves do que pacientes de pele mais clara.

A seguir, preparamos algumas orientações sobre os diferentes tipos de peeling químico e qual é o mais indicado para você:

  • Para descoloração leve da pele: Um Peeling de Alfa Hidroxiácido (AHA) é geralmente adequado para manchas escuras ou descoloração leve, pois este peeling pode ser misturado com agentes clareadores da pele.
  • Para pele áspera: O ácido glicólico pode ser usado para suavizar a pele áspera e até mesmo para alguns crescimentos da pele.
  • Para melhorar as linhas de expressão: Nesse caso, um peeling de ácido tricloroacético (TCA) de grau médio seria adequado. Em alguns casos, alguns tratamentos distribuídos ao longo de alguns meses. Isso também pode resultar em algum tempo de inatividade.
  • Removendo manchas de idade: Peelings médios a profundos, como TCA ou Fenol, são usados ​​para manchas senis e cicatrizes mais profundas.

  • Para cicatrizes de acne: Isso depende muito da cicatriz. Em todos os casos, é indicado uma avaliação individual com a Dra. Priscila, pois isso pode variar de um “peeling leve feito na hora do almoço” até um peeling profundo, dependendo da gravidade da cicatriz.
  • Remoção de sardas: Um peeling com TCA ou ácido glicólico são geralmente usados aqui para sardas e descoloração moderada da pele.
  • Para pés de galinha: O peeling com TCA pode ser combinado com um tratamento com laser de CO2 fracionado ou laser.
  • Para pele danificada pelo sol: Mais uma vez, isso depende de como está o tom da sua pele e de quanto dano ocorreu, mas geralmente é um peeling glicólico ou de TCA de gama média.
  • Remoção de células da pele danificadas: Um peeling mais profundo é frequentemente aplicado nesses casos, a fim de remover as células da pele danificadas.
  • Remoção de cicatrizes mais profundas: Uma cicatriz profunda pode exigir a aplicação de ácido tricloroacético (TCA ou ATA), para realização da técnica de Cross Peeling.

Os peelings químicos não são recomendados para:

Se você tiver infecções frequentes na pele, cortes, queimaduras de sol ou feridas de herpes, também não deve fazer um peeling químico. Deve se limitar a exposição ao sol após um peeling químico e usar protetor solar em todos os casos. Além disso, o tabagismo pode causar atraso na cicatrização após um peeling químico e deve ser evitado.

Para mais informações, agende uma consulta agora mesmo com a Dra. Priscila Cartaxo pelo telefone (31) 3324-1832.