Microagulhamento

O que microagulhamento?

 Também conhecido por Indução Percutânea de Colágeno por Agulhas (IPCA), o microagulhamento é um procedimento dermatológico que consiste em microperfurações da pele com finas agulhas metálicas que perfuram as camadas da pele para estimular o colágeno.

O tratamento pode ser realizado através de diferentes técnicas – desde pequenos rolos que sustentam as agulhas ou equipamentos mais modernos, automáticos, nos quais podemos regular a profundidade das agulhas e associar técnicas como a radiofrequência, que é o Microagulhamento Robótico, tratamento que também dispomos em nossa clínica.

O que posso tratar com a técnica de microagulhamento?

Esse procedimento pode ser utilizado em diversos tratamentos da pele como cicatrizes ( causadas por acne, cirúrgicas e por catapora), estrias, flacidez, poros abertos, calvície e até mesmo melasma – manchas escuras que costumam aparecer na pele do rosto.

Atualmente muito se tem usado para drug delivery. Após as micropuncturas realizadas pelo microagulhamento, aplica-se substâncias com o  objetivo de rejuvenescer, estimular colágeno, clarear manchas como melasma, melhorar estrias e até mesmo estimular crescimento de cabelo.

Microagulhamento dói?

A dor pode variar de acordo com a região a ser tratada e da sensibilidade de cada paciente, mas mesmo as pessoas mais sensíveis conseguem se submeter a esse tratamento. A técnica mais popular é a minimamente invasiva e os pacientes toleram bem quando usamos um creme anestésico ou anestesia local na área a ser tratada.

Como é feito o microagulhamento?

O procedimento é realizado no próprio consultório médico. Primeiramente fazemos a assepsia do local a ser tratado e em seguida passamos o anestésico tópico. Em seguida, realizamos o microagulhamento.

A escolha da técnica é feita pelo dermatologista, que irá utilizar os rolos ou equipamentos automáticos de acordo com a necessidade de cada paciente.

Quando os rolos são utilizados, o médico deve escolher previamente o tamanho das agulhas, pois cada rolo tem uma profundidade fixa.

no microagulhamento robótico ou radiofrequência microagulhada, é permitido o ajuste do tamanho das agulhas durante o tratamento, podendo regular a profundidade desejada para cada local na mesma sessão.

A técnica e o aparelho a ser utilizado vão variar de acordo com a necessidade de cada paciente e da finalidade de tratamento. Podemos atingir camadas diferentes da pele para obter melhora de vários problemas como manchas, cicatrizes, estrias, etc.

Quais as contraindicações a esse procedimento?

A maioria das pessoas podem realizar o procedimento e que existem poucas contraindicações como, por exemplo, pacientes que fazem o uso de anticoagulantes ou que estejam bronzeados. A Sociedade Brasileira de Dermatologia  também ressalta que Câncer da pele na área tratada ou nas proximidades também contraindica a técnica.

É sempre importante ressaltar que agulhas devem ser estéreis. Em nenhuma hipótese estas podem ser reutilizadas, mesmo que no próprio paciente.

Como todos os procedimentos, devemos alertar que durante a sessão de microagulhamento a pele é rompida pelas agulhas e isso pode causar infecções bacterianas e a reativação de quadros de herpes. Por isso, é tão importante que o tratamento seja feito em um consultório dermatológico com a utilização de materiais estéreis e descartáveis a fim de garantir a sua segurança.

Quais são os cuidados com a pele após o procedimento?

Feito o tratamento, a pele precisa receber cuidados especiais durante algum tempo, como o uso diário do filtro solar e cremes cicatrizantes. A recuperação da pele é rápida e logo nos primeiros dias pode ter uma descamação fina que logo melhora com o uso dos produtos indicados para pós-procedimento.